"Quinhentos Anos de Contato": Por Uma Teoria Etnográfica da (Contra)Mestiçagem

É com muita satisfação que publicamos na seção Documenta de Mana a conferência proferida pelo Prof. Marcio Goldman durante seu concurso para Professor Titular do Departamento de Antropologia do Museu Nacional/UFRJ.
A conferência teve lugar no Museu Nacional, no dia 16 de março de 2015, diante da banca examinadora formada pelos professores Otávio Velho, Gemma Orobitg, José Carlos Rodrigues, Pedro Pitarch e Sylvia Caiuby e de uma audiência de colegas, alunos, ex-alunos e muitos outros interessados.
Nela, o autor opta por explorar o que denomina provisoriamente de "relação afroindígena", termo usado para designar os agenciamentos entre afrodescendentes e indígenas no continente americano. Apresentando o que o autor chama de "um caráter incerto e aberto", a conferência oferece-nos a possibilidade de acompanhar o momento de amadurecimento dessa reflexão ainda em curso, não deixando de registrar o quanto ela se ancora em sólida e longa trajetória de pesquisa, formação e orientação. Densidade etnográfica e teórica combinam-se, desse modo, com vivacidade em um texto que coloca sob desconfiança as sínteses e as reduções. Como destaca Goldman, pensar sobre a relação afroindígena é pensar sobre uma relação com "alto potencial de desestabilização do nosso pensamento e que, por isso mesmo, deve estar no coração de uma antropologia que encara as diferenças, que leva a sério o que as pessoas pensam, que é capaz de se manter afastada dos clichês que nos assolam e, assim, pensar diferente".
Para ler o documento completo:
http://www.scielo.br/pdf/mana/v21n3/0104-9313-mana-21-03-00641.pdf

"Quinhentos Anos de Contato": Por Uma Teoria Etnográfica da (Contra)Mestiçagem "Quinhentos Anos de Contato": Por Uma Teoria Etnográfica da (Contra)Mestiçagem Reviewed by davy sales on 02:29:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.