o tabu do incesto e a bioantropologia

José Francisco Carminatti Wencenlau, André Strauss Rev. Cadernos de Campo v. 21, n. 21 (2012)
O debate acerca do tabu do incesto tem sido amplamente discutido até mesmo antes da fundação da antropologia como disciplina. Porém, foi nessa área do conhecimento que o tema adquiriu atenção acentuada, em especial após a publicação do renomado trabalho de Claude Lévi--Strauss, As estruturas elementares do parentesco, em 1949. Grande parte das escolas de ciências sociais brasileiras toma o assunto como encerrado por esse autor, contudo, isso está longe de ser verdade. Neste artigo procuramos reacender o debate com o estruturalismo lévi-straussiano e a sua principal teoria a respeito da proibição do incesto – a teoria da aliança– através do levantamento de diversos estudos que de algum modo dialoguem com a obra desse autor. Deste modo, com especial auxílio dos trabalhos de fronteira entre a biologia e a antropologia – que muitas vezes não chegam ao contato dos cientistas sociais – desejamos reavivar essa reflexão no circulo acadêmico brasileiro.

Para ler online: http://www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/view/53904/57848

Para baixar cópia do artigo em seu computador: http://www.revistas.usp.br/cadernosdecampo/article/download/53904/57848

o tabu do incesto e a bioantropologia o tabu do incesto e a bioantropologia Reviewed by davy sales on 05:02:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.