antropologia em via de livre acesso

imagesO saber é um dom que deve ser partilhado como Mauss nos ensinou. Dar, receber e retribuir. A cobrança impede o livre acesso à produção acadêmica, mas os artigos publicados em revistas de acesso livre são mais citados que os pagos. Se os pesquisadores recebem salário e bolsas das universidades, agências, governos e outros meios de financiamento, porque a produção não chega aos estudantes senão pelo pagamento? Boa parte das revistas de antropologia já são de livre acesso, A plataforma SciElo é um exemplo maravilhoso. Mas vejamos mais de perto. A antropologia da UnB produz a Série Antropologia com acesso aberto, enquanto edita o Anuário Antropológico com acesso restrito, apenas com versão impressa-paga. A Revista de Antropologia da USP parou o livre acesso. Sua Coleção Antropologia não tem versão digital. Muitos departamentos ainda “escondem” sua produção e se distanciam dos estudantes e pesquisadores interessados. A internet é aqui e não faz sentido a recusa em disponibilizar o acervo. A antropologia poderia ser muito mais forte entre nós se a produção de seu conhecimento fosse partilhado de maneira mais ampla. A possibilidade de acessar a produção brasileira em sua globalidade, daria aos novos antropólogos a certeza de continuidades e avanços teóricos. Aos mestres, a ampliação do diálogo acadêmico, das redes de filiação e da visibilidade de suas tradições. Na prática, o livre acesso contribui para o crescimento do rigor metodológico e profundidade das abordagens teóricas que alimentam a antropologia estabelecida enquanto fomenta os novos horizontes do campo disciplinar.

antropologia em via de livre acesso antropologia em via de livre acesso Reviewed by davy sales on 04:03:00 Rating: 5

Um comentário:

  1. Concordo com todo o texto. Fernando Henrique Cardoso já apontava, em 1988, em discurso aqui em Marília_SP, a dificuldade de nós, intelectuais,falarmos de maneira inteligível. De minha parte procuro falar em TV, rádio escrever ensaios curtos no jornal DIÁRIO de Marília,e coresponder-me com a juventade em sites de relacionamento. Os jovens estão inquietos e perguntam sobre tudo! Vamos parar com nossa empáfia!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.